Congresso não vê espaço para União reduzir o preço dos combustíveis

OUTRAS NOTICIAS, 04 de Jun de 2018 - Vista 38 vezes.

Orçamento apertado, Lei de responsabilidade Fiscal e teto de gastos limitam ação do governo

Twitter: @ItapebiAcontece

Imagem: Reprodução




Com o fim da greve dos caminhoneiros –que resultou em desconto de R$ 0,46 no litro do óleo diesel– e a normalização do abastecimento de combustíveis, o comando do Congresso não vislumbra um cenário de queda de preços de gasolina, etanol e gás de cozinha. Em Brasília, o litro da gasolina é vendido à população por aproximadamente R$ 5 nos postos. O botijão de gás chega a R$ 80.

Para os presidentes do Senado, Eunício Oliveira (MDB-CE), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), a margem de manobra orçamentária é muito pequena para o governo atuar na redução do patamar.

 

Maia destaca ainda que o governo se depara com travas da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e da emenda à Constituição que estabeleceu um teto para os gastos.
 

O deputado acredita que a única política a ser feita no momento é o uso de impostos flutuantes, que seriam reduzidos no caso de alta do valor do petróleo. A providência, porém, não reduz o patamar de preço dos combustíveis, apenas suaviza as oscilações.
 

Essa medida ganha força desde de semana passada no Ministério de Minas e Energia como forma de amortecer o impacto da volatilidade do preço na bomba.
 

Está prevista para esta segunda-feira (4) uma reunião de representantes da pasta com técnicos do Ministério da Fazenda e da ANP (Agência Nacional de Petróleo) para tentar aprofundar a discussão.
 

Na sexta, ao anunciar Ivan Monteiro como seu escolhido para comandar a Petrobras, o presidente Michel Temer disse em pronunciamento que não haveria mudança na política de preços da empresa.
 

No caso do gás, Maia, que é pré-candidato à Presidência, defende que o governo crie um mecanismo que beneficie os mais pobres. Uma solução seria ampliar o benefício do Bolsa Família, direcionando o recurso para a compra do botijão. Mas, reconhece que a proposta tem limitações.
 

"Agora tem que ter paciência, entender que não tem mágica, que a Petrobras já foi usada de forma equivocada. ["¦] Há um problema grave, o orçamento público está esgotado. Não há mais espaço para grande interferência no Orçamento", disse à Folha.
 

Senadora condena valores irracionais e pede corte no ICMS
 

A líder do MDB no Senado, Simone Tebet (MS), afirma que a Petrobras é uma empresa estatal e, por isso, precisa dar uma parcela de contribuição para que a população não seja penalizada. Para ela, o atual patamar dos combustíveis e do gás de cozinha é "irracional, absurdo e precisa ser reduzido".
 

Tebet afirma que o estabelecimento de um colchão que evite variações bruscas nos preços não é suficiente. Defende que a solução do problema passe necessariamente por cortes no ICMS, imposto arrecadado pelos estados.
 

Em média, 28% do preço da gasolina na bomba corresponde à cobrança de ICMS. A emedebista argumenta que a alta dos combustíveis levou a um aumento da arrecadação do tributo, o que engordou os cofres estaduais: "Não há como negar que quem mais está ganhando com a alta dos combustíveis são os estados."
 

Os governos estaduais, no entanto, dizem não poder abrir mão do que arrecadam.

Em Pernambuco, por exemplo, o secretário de Planejamento, Márcio Stefanni, diz que o combustível representa 20% da arrecadação do estado.
 

"Estamos executando o orçamento com a previsão de receita. O ICMS paga saúde e educação. Reduzir este tributo seria mais um ataque ao pacto federativo", disse Stefanni.
 

"Os estados e municípios estão com orçamentos estrangulados. Ajustar o equívoco da política de preços dos combustíveis no atual modelo de receitas públicas é gravíssimo, vai comprometer serviços", ponderou André Horta, secretário de Tributação do Rio Grande do Norte e coordenador dos secretários estaduais no Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária).
 

Diante da crise, no entanto, dois projetos foram apresentados no Senado com o objetivo de estabelecer um teto para a cobrança de ICMS. Hoje, cada estado tem liberdade para definir sua alíquota.
 

Um dos textos, apresentado pelo líder do governo no Senado, Romero Jucá (MDB-RR), e pelo senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) define que a alíquota de ICMS não poderá ultrapassar 7% no caso do diesel e 18% para gasolina e etanol.
 

O segundo projeto, de autoria do senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), fixa em 12% a alíquota máxima de ICMS sobre o gás de cozinha. Hoje, a média nacional está em 14%.
 

Mas Eunício Oliveira, que comanda a pauta do Senado, diz não ter previsão de colocar estas propostas em votação na Casa. Ele também insiste que é preciso garantir a previsibilidade dos preços e inclui na discussão das mudanças tributárias os interessados em assumir a Presidência da República em 2019.
 

"Reforma tributária tem que ser debatida com os candidatos a presidente, assim, a população vai escolher sabendo o que pensa e o que fará o novo presidente que será eleito. É necessário este debate com aqueles que pensam em governar o país", disse Eunício.
 

Desde 2016, quando a Petrobras adotou a nova política de preços, que leva em conta o valor do dólar e do barril de petróleo, o litro da gasolina teve alta de mais de 20%.
 

No caso do ICMS, o presidente da Câmara afirmou que é preciso dialogar com os governadores. "Está todo mundo quebrado", disse, defendendo também reformas administrativa e tributária.


 

ItapebiAcontece / Folha de São Paulo 

Compartilhar

COMENTÁRIOS

Nenhum registro encontrado.




*Nota: O depoimento e comentário aqui postados são de inteira responsabilidade dos emitentes. Cabendo ainda os responsáveis pelo Site Itapebiacontece moderar as postagens.*

NOTÍCIAS

Prefeitura disponibiliza wi-fi gratuito em 14 pontos de Salvador; veja lista

Para usar a rede wi-fi, o usuário precisa habilitar o dispositivo móvel à rede #Conecta_Salvador e seguir as orientações de cadastro.

SALVADOR, 21 de Jan de 2019

Infraero será fechada durante governo Bolsonaro, diz novo secretário

Encerramento deve ocorrer até 2021

BRASIL, 21 de Jan de 2019

Hoje é o dia mais triste do ano, segundo pesquisas

Quem criou o termo foi o psicólogo Cliff Arnall, da Universidade de Cardiff, no País de Gales, em 2005. Segundo seus estudos, esse é o dia mais triste do ano.

MUNDO, 21 de Jan de 2019

‘Estado não pode abrir mão de analisar’ concessão da Embasa, diz secretário

No final do ano passado, a revista Veja noticiou que o governador Rui Costa (PT) planejava conceder setores da Embasa para a inciativa privada.

BAHIA, 21 de Jan de 2019

Tecnologia: WhatsApp limita reenvios de mensagens a 5 destinatários

Anteriormente, um usuário do WhatsApp poderia reenviar uma mensagem para 20

OUTRAS NOTICIAS, 21 de Jan de 2019

Acidente entre veículos deixa três mortos e dois feridos no extremo Sul Baiano

Acidente aconteceu no trecho que liga o distrito de Cumuruxatiba ao Centro da cidade de Prado, no sul da Bahia.

ESTRADAS, 21 de Jan de 2019

Casamento de sete anos de sertanejo famoso chega ao fim

Jorge e Ina se casaram em maio de 2011, numa cerimônia de luxo na fazenda Grota Funda, em Nazário, Goiás,

FAMOSOS, 21 de Jan de 2019

Em grave acidente próximo à Itagimirim morre jovem filho de ex-vereador

Ele ainda foi socorrido, mas morreu no hospital em Porto Seguro. (Fotos: Internautas ItapebiAcontece)

ESTRADAS, 20 de Jan de 2019

Bahia: Cratera em Vera Cruz cresce quase 4m e chega a 89,5m de comprimento

Empresa segue com estudos para saber causa da erosão em Matarandiba, vila que fica na Ilha de Itaparica. Resultados das avaliações devem ser concluídos no 2º trimestre...

BAHIA, 20 de Jan de 2019

Briga em velório deixa dois mortos; delegado é denunciado por agressão

Uma das vítimas, Wemerson de Araújo, estava na rede com o filho quando foi atingida por um golpe de faca e, em seguida, de enxada

BRASIL, 19 de Jan de 2019

FALE CONOSCO

WhatsApp: (73) 8171-4770 Tel:(73) 8879-9975

Sem enquetes cadastradas

VÍDEOS

CANÔA SUISSA II
POSTADO: 09-12-2013 12:12

NOTAS SOCIAIS

  • DADOS DO MUNICÍPIO DE ITAPEBI

    Fundação 14 de agosto de 1958 (60 anos)- Gentílico- itapebiense Prefeito- Juarez da Silva Oliveira(Peba) (PP) (2017–2020)- Vice-prefeito; Claudio Henrique Ferreira de Carvalho (PR)- Câmara de Vereadores (09) - Herlemilson Caldas Pereira (PDT), Cleide Moreira do Nascimento (PTN), Cristiano Pereira da Silva (PRTB), Damiao Teixeira Silva (PRTB), Roberley Barbosa de Brito (PSL), Leonardo Ribeiro dos Santos (PSB), Paulo Henrique...


    Ver todas as notas
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • ...
  • 1100