Estados e municípios pedem Fundeb permanente e mais recursos da União

BRASIL, 12 de Set de 2018 - Vista 23 vezes.

Ipea propõe que todo gasto em educação básica seja feito pelo fundo

Twitter: @ItapebiAcontece

Imagem: Reprodução




O Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) esperam que a próxima legislatura do Congresso Nacional, a ser eleita em 7 de outubro, torne permanente o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), previsto para acabar em 2020.
 

De acordo com o vice-presidente do Consed, Fred Amancio, “existe consenso” sobre a importância do fundo e “o fim do Fundeb não é mais uma preocupação”. Segundo ele, “o fundo é uma garantia de recursos permanentes para a educação”.

 

Para o presidente da Undime, Alessio Costa Lima, o Fundeb é a “forma mais descentralizada” de uso de recursos da educação e assegura autonomia a estados e municípios.
 

Além de tornar o fundo perene, estados e municípios querem que a União aumente a complementação estabelecida em lei, como preveem duas emendas constitucionais em discussão no Congresso Nacional, uma na Câmara dos Deputados e outra no Senado Federal.

A expectativa de estados e municípios, tratada nas discussões das duas emendas, é que a União aumente gradativamente os seus repasses e, em dez anos, a complementação suba dos atuais 10% e alcance entre 30% e 40%.

O fundo cobre toda a educação básica, da creche ao ensino médio, é a principal fonte para o pagamento dos professores da rede pública em todo o país e ainda pode ser usado para a manutenção de escolas, aquisição de material didático e capacitação dos docentes, entre outras despesas. Em 2017, o Fundeb movimentou R$ 145,3 bilhões (dado do Tesouro Nacional).

O Fundeb é formado por dinheiro proveniente dos impostos e das transferências obrigatórias aos estados, Distrito Federal e municípios (fundos de participação constitucionais). Além desses recursos, a União faz aporte complementar em alguns estados o que, no ano passado, representou R$ 13 bilhões. O recurso da União é repassado quando o valor por aluno no estado não alcança o mínimo definido nacionalmente (atualmente, R$ 3.016,17 ao ano).

Em cada estado, os recursos apurados são redistribuídos conforme o número de alunos das redes de ensino estaduais e municipais. O Fundeb foi instituído pela Emenda Constitucional nº 53, de 19 de dezembro de 2006, em substituição ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef), criado em 1996.

Fora da campanha

Apesar do alto volume de recursos mobilizados, da importância do Fundeb para a educação básica e do impacto nas contas da União com eventual aumento de repasse, chama a atenção dos representantes das secretarias de educação e de especialistas a ausência de debate sobre o futuro do fundo na campanha eleitoral.

“Eu ainda não vi os candidatos falarem especificamente do Fundeb”, observa Fred Amancio, do Consed.
 

“Os mecanismos de financiamento da educação básica deveriam ser uma das prioridades do governo federal. Por causa do vencimento em 2020, a discussão terá que ser feita em 2019. Infelizmente vem sendo pouco debatido nesse período eleitoral”, avalia Gabriel Corrêa, gerente de Políticas Educacionais do movimento Todos pela Educação.

Para Corrêa, “há oportunidades” para o próximo presidente da República perpetuar o Fundeb e “propor avanços na redistribuição de recursos”. Ele defende que a complementação da União e a redistribuição nos estados contemplem a situação do gasto por aluno por município. Segundo ele, a mudança tem potencial de aumentar em 30% o gasto do Fundeb nos municípios mais pobres.

Corrêa defende que a União aumente o repasse de recursos ao Fundeb, mas assinala que é preciso fazer “estudo de viabilidade” respeitando o desafio fiscal. De acordo com projeção do governo federal, em 2021, as despesas obrigatórias atingirão 98% do orçamento da Uniãi.

Controle social

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) fez estudo sugerindo que estados e municípios invistam, integralmente no Fundeb, o mínimo constitucional (25% de toda a arrecadação) destinado a educação. Atualmente, estados e municípios já investem esse percentual em educação, mas não são obrigados a fazê-lo via Fundeb.

Segundo Camillo de Moraes Bassi, especialista do Ipea, o Fundeb precisa ganhar mais importância e o aumento de gastos investidos pelos estados e municípios teria a vantagem de fazer todo investimento local em educação básica “ganhar controle social e visibilidade”.

Alessio Costa Lima, da Undime, critica a ideia. “Essa alternativa é boa apenas para a União”, destacando que, sem mais recursos federais, não haverá como aumentar as matrículas em creches, lema de campanha de diferentes candidatos.



ItapebiAcontece / Agência Brasil

 
 

Compartilhar

COMENTÁRIOS

Nenhum registro encontrado.




*Nota: O depoimento e comentário aqui postados são de inteira responsabilidade dos emitentes. Cabendo ainda os responsáveis pelo Site Itapebiacontece moderar as postagens.*

NOTÍCIAS

Bahia emite alerta sobre aumento de 301% nos casos de Dengue em 2019

A Sesab informa que foram distribuídos 7.400 kits para serem utilizados pelos agentes de controle de endemias dos 417 municípios.

BAHIA, 23 de Fev de 2019

Venezuela: Confronto a 80 km da fronteira com Brasil deixa 2 mortos

Indígenas que faziam barricada para garantir entrada de ajuda humanitária vinda do Brasil foram alvo de ação do Exército Venezuelano; há 22 feridos

MUNDO, 22 de Fev de 2019

Ex-diretor da Embasa Jessé Motta é o novo superintendente da Sucop em Salvador

Além da experiência na Empresa Baiana de Águas e Saneamento, Jessé Filho tem passagem pela Conder e pela Companhia de Saneamento de Alagoas.

SALVADOR, 22 de Fev de 2019

Comentaristas debatem risco de rebaixamento do Palmeiras por presença de Del Nero

Banido pela Fifa de atividades relacionadas ao futebol, ex-presidente da CBF é conselheiro vitalício do clube, que, segundo jornal "O Estado de S.Paulo",...

ESPORTES, 21 de Fev de 2019

Maduro envia tanques para cidade próxima ao Brasil, diz opositor

Escalada na tensão acontece depois de o governo brasileiro anunciar força-tarefa para enviar ajuda dos EUA para solo venezuelano. Tanques venezuelanos em Santa Elena do...

MUNDO, 21 de Fev de 2019

Deputados duelam pelas barragens. Querem elas para navegar, é claro

As comissões têm cargos preenchidos nos arranjos políticos. Vão ter que abrir espaço. (Foto: Ilustrativa - Arnaldo Alves / ItapebiAcontece)

BAHIA, 21 de Fev de 2019

Centrão ameaça e diz que reforma não avança sem diálogo com o Planalto

Parlamentares estão insatisfeitos com a articulação política do governo Bolsonaro

BRASIL, 21 de Fev de 2019

MP e Defensoria pedem interdição de CT e bloqueio de R$ 57 mi do Fla

Dez jovens morreram em um incêndio que atingiu o Ninho do Urubu no último dia 8 de fevereiro

TRAGÉDIA, 21 de Fev de 2019

ITAPEBI: Divulgado Resultado Parcial Processo Seletivo 001/2019

Desta forma, segue abaixo as relações dos aprovados em ampla concorrência separados por cargo preterido

ITAPEBI, 21 de Fev de 2019

Fernanda Montenegro passa mal em gravação e está internada

Atriz estava em Jaguari, no Rio Grande do Sul, gravando 'A dona do pedaço'

FAMOSOS, 20 de Fev de 2019

FALE CONOSCO

WhatsApp: (73) 8171-4770 Tel:(73) 8879-9975

Sem enquetes cadastradas

VÍDEOS

CANÔA SUISSA II
POSTADO: 09-12-2013 12:12

NOTAS SOCIAIS

  • DADOS DO MUNICÍPIO DE ITAPEBI

    Fundação 14 de agosto de 1958 (60 anos)- Gentílico- itapebiense Prefeito- Juarez da Silva Oliveira(Peba) (PP) (2017–2020)- Vice-prefeito; Claudio Henrique Ferreira de Carvalho (PR)- Câmara de Vereadores (09) - Herlemilson Caldas Pereira (PDT), Cleide Moreira do Nascimento (PTN), Cristiano Pereira da Silva (PRTB), Damiao Teixeira Silva (PRTB), Roberley Barbosa de Brito (PSL), Leonardo Ribeiro dos Santos (PSB), Paulo Henrique...


    Ver todas as notas
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • ...
  • 1112