De comissário a falsificador da Cosa Nostra: mafioso foi preso por tráfico em Salvador

POLÍCIA, 05 de Dez de 2018 - Vista 41 vezes.

Lelio Paolo Gigante, 84 anos, testava qualidade de cocaína em laboratório na Ladeira dos Aflitos, antes de mandá-la para Europa

Twitter: @ItapebiAcontece

Imagem: Reprodução



O paulista Lelio Paolo Gigante, 84, tinha vida simples em Salvador e fingia viver da cobrança de alugueis de imóveis que tem na região da Ladeira dos Aflitos, onde foi preso nesta terça-feira (4) pela Polícia Federal. 

De comissário de bordo que traficava relógios falsificados para complementar a renda a especialista em falsificação de passaportes da máfia italiana, Gigante é hoje, segundo a polícia, quem testa o grau de pureza de maior parte da cocaína que sai da Bolívia e é enviada à Europa depois de passar pelo Brasil.

A polícia estima que ele tenha cerca de dez imóveis em Salvador, os quais seriam uma forma de lavar o dinheiro oriundo do tráfico. No ramo imobiliário, Gigante também encontrou problemas, sobretudo com inquilinos que não pagavam aluguéis.

No Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) constam processos diversos em que ele aciona terceiros que deixaram de cumprir com suas obrigações. Mas, também aparece em processos como devedor do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU).

Era numa dessas casas que Gigante recebia integrantes da facção paulista Primeiro Comando da Capital (PCC) com amostras de cocaína vindas da Bolívia. Segundo a polícia, ele não é integrante do PCC, mas a organização fazia parte do seu rol de fornecedores.

Gigante, de acordo com a polícia, era a ligação entre a facção paulista e os traficantes na Europa. Depois da palavra dele, a droga era colocada em cápsulas e enviada por meio de “mulas”, pessoas que faziam o transporte às vezes engolindo as cápsulas, até a Europa.
 

Essa rotina já vinha pelo menos desde 2016, quando a Polícia Federal passou a investigar o senhor de cabelos brancos que, apesar do largo histórico de crimes e prisões, não possui registros de cumprimento de pena no Brasil, segundo a polícia.

No início da década de 1980, em Penedo (RJ), ele foi envolvido na morte de uma adolescente de 14 anos, junto com o italiano Tommaso Buscetta, integrante da máfia italiana que viveu no Brasil e morreu aos 71 anos em Nova Iorque, onde foi viver sob proteção da Justiça italiana depois de delatar integrantes da Cosa Nostra.

As suspeitas da época, relata Leandro Demori em “Cosa Nostra no Brasil – A história do mafioso que derrubou um império” (2016), livro que tem Buscetta como personagem central, eram de que a casa onde a garota foi morta estaria sendo usada para o tráfico.

Gigante quase passou despercebido na época, pois as atenções da Polícia Federal estavam mais voltadas para Buscetta, já conhecido integrante da máfia italiana que tinha sido expulso do Brasil em 1972, depois de ter sido preso pela polícia.

Contudo, ao fazer uma batida na casa onde ocorreu o homicídio, consumado possivelmente depois de um estupro, a polícia encontrou uma mala que seria de Gigante onde havia materiais usados para fabricar documentos falsos.

Por décadas, Gigante facilitou a vida da Casa Nostra com seus serviços de falsificação de documentos, sobretudo passaportes, e foi por meio de um desses que o brasileiro encontrou Buscetta, no final da década de 1960, em Montreal, no Canadá.


Pouco antes de os dois se encontrarem, Gigante, criado na Itália, para onde foi levado pelos pais quando ainda tinha um ano, era comissário de bordo da Avianca na Colômbia, de onde voava para Estados Unidos e Europa.

Segundo relata o livro de Leandro Demori, para completar o salário como comissário ele traficava relógios falsificados, até ver no tráfico de heroína um negócio mais lucrativo.

Numa de suas aventuras, durante o inverno, acabou detido para averiguação em um posto aduaneiro na fronteira dos Estados Unidos com o Canadá. O medo de ser deportado o fez fugir do prédio e caminhar por até 50 quilômetros na neve e parar em Montreal.

Depois de pedir ajuda a um grupo que apoiava imigrantes ilegais, foi jogado nos fundos de um carro por dois desconhecidos e acomodado numa casa, onde dormiu por dois dias, acordando poucas vezes para comer, até se deparar com Buscetta ao seu lado.

O italiano na época já era foragido da polícia, e Gigante estava com um passaporte falso que tinha as digitais de Buscetta e o nome de Roberto Cavallaro, um dos tantos nomes falsos usados por Tommaso Buscetta.

O documento falso, contudo, havia ficado com os agentes quando fora detido. Após isso, Buscetta tornou a desaparecer e Gigante voltou ao Brasil, onde se encontraram novamente no Rio de Janeiro

Segundo a polícia, eles eram parceiros e consideravam-se como “compadres”. Buscetta, depois de preso e delatar o esquema da máfia siciliana, não foi mais visto por Gigante, o qual, para a polícia, nunca deixou o mundo do crime.



A prisão temporária de Gigante é por 30 dias. A Polícia Federal informou que pedirá que a prisão dele seja convertida em preventiva, diante das provas obtidas na operação desta terça-feira.

Gigante responderá pelos crimes de organização criminosa (art. 2º da Lei 12.850/2013), associação para o tráfico (art. 35 da Lei 11.343) e lavagem de dinheiro (art. 1º da Lei 9.613/1998).

Novo chefe da Cosa Nostra é preso na Itália
A polícia da Itália também prendeu nesta terça-feira (4), na Sicília, pessoas suspeitas de integrar a cúpula da Cosa Nostra, a mais conhecida organização mafiosa italiana. Foram 46 prisões, incluindo a de Settimino Mineo, 80 anos, apontado como o novo líder da máfia.

Entre os crimes imputados aos 46 suspeitos estão associação mafiosa, extorsão agravada, incêndios dolosos, declaração fictícia de bens e porte abusivo de armas.

De acordo com a agência italiana de notícias Ansa, o inquérito concluído pela Direção Distrital Antimáfia de Palermo aponta que o conselho da Cosa Nostra, chamado de “cúpula”, não se reunia há anos, mas foi convocado novamente no dia 29 de maio deste ano.

A reunião teria acontecido seis meses após a morte de Salvatore “Totò” Riina, que foi o líder da máfia siciliana, mesmo tendo cumprido prisão perpétua desde o início dos anos 1990.


 

A nomeação de Settimino Mineo como novo líder teria acontecido justamente nessa reunião de 29 de maio. Para a polícia italiana, o retorno da comissão é um sinal de que os clãs decidiram recuperar a estrutura da máfia.

Em comum com Lelio Paolo Grande, preso ontem em Salvador, Settimino tem mais que a Cosa Nostra em comum. Oficialmente, os dois se apresentavam como  joalheiros. “Com uma extraordinária intervenção na província de Palermo, os carabineiros desmantelaram a nova ‘cúpula’ da Cosa Nostra”, escreveu no Twitter o ministro do Interior, Matteo Salvini. 


ItapebiAcontece / As informações são da Agência Estado.

 


 


Compartilhar

COMENTÁRIOS

Nenhum registro encontrado.




*Nota: O depoimento e comentário aqui postados são de inteira responsabilidade dos emitentes. Cabendo ainda os responsáveis pelo Site Itapebiacontece moderar as postagens.*

NOTÍCIAS

Bahia emite alerta sobre aumento de 301% nos casos de Dengue em 2019

A Sesab informa que foram distribuídos 7.400 kits para serem utilizados pelos agentes de controle de endemias dos 417 municípios.

BAHIA, 23 de Fev de 2019

Venezuela: Confronto a 80 km da fronteira com Brasil deixa 2 mortos

Indígenas que faziam barricada para garantir entrada de ajuda humanitária vinda do Brasil foram alvo de ação do Exército Venezuelano; há 22 feridos

MUNDO, 22 de Fev de 2019

Ex-diretor da Embasa Jessé Motta é o novo superintendente da Sucop em Salvador

Além da experiência na Empresa Baiana de Águas e Saneamento, Jessé Filho tem passagem pela Conder e pela Companhia de Saneamento de Alagoas.

SALVADOR, 22 de Fev de 2019

Comentaristas debatem risco de rebaixamento do Palmeiras por presença de Del Nero

Banido pela Fifa de atividades relacionadas ao futebol, ex-presidente da CBF é conselheiro vitalício do clube, que, segundo jornal "O Estado de S.Paulo",...

ESPORTES, 21 de Fev de 2019

Maduro envia tanques para cidade próxima ao Brasil, diz opositor

Escalada na tensão acontece depois de o governo brasileiro anunciar força-tarefa para enviar ajuda dos EUA para solo venezuelano. Tanques venezuelanos em Santa Elena do...

MUNDO, 21 de Fev de 2019

Deputados duelam pelas barragens. Querem elas para navegar, é claro

As comissões têm cargos preenchidos nos arranjos políticos. Vão ter que abrir espaço. (Foto: Ilustrativa - Arnaldo Alves / ItapebiAcontece)

BAHIA, 21 de Fev de 2019

Centrão ameaça e diz que reforma não avança sem diálogo com o Planalto

Parlamentares estão insatisfeitos com a articulação política do governo Bolsonaro

BRASIL, 21 de Fev de 2019

MP e Defensoria pedem interdição de CT e bloqueio de R$ 57 mi do Fla

Dez jovens morreram em um incêndio que atingiu o Ninho do Urubu no último dia 8 de fevereiro

TRAGÉDIA, 21 de Fev de 2019

ITAPEBI: Divulgado Resultado Parcial Processo Seletivo 001/2019

Desta forma, segue abaixo as relações dos aprovados em ampla concorrência separados por cargo preterido

ITAPEBI, 21 de Fev de 2019

Fernanda Montenegro passa mal em gravação e está internada

Atriz estava em Jaguari, no Rio Grande do Sul, gravando 'A dona do pedaço'

FAMOSOS, 20 de Fev de 2019

FALE CONOSCO

WhatsApp: (73) 8171-4770 Tel:(73) 8879-9975

Sem enquetes cadastradas

VÍDEOS

CANÔA SUISSA II
POSTADO: 09-12-2013 12:12

NOTAS SOCIAIS

  • DADOS DO MUNICÍPIO DE ITAPEBI

    Fundação 14 de agosto de 1958 (60 anos)- Gentílico- itapebiense Prefeito- Juarez da Silva Oliveira(Peba) (PP) (2017–2020)- Vice-prefeito; Claudio Henrique Ferreira de Carvalho (PR)- Câmara de Vereadores (09) - Herlemilson Caldas Pereira (PDT), Cleide Moreira do Nascimento (PTN), Cristiano Pereira da Silva (PRTB), Damiao Teixeira Silva (PRTB), Roberley Barbosa de Brito (PSL), Leonardo Ribeiro dos Santos (PSB), Paulo Henrique...


    Ver todas as notas
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • ...
  • 1112