1/3 da população com idade entre 65 e 84 anos está inadimplente

Geral
23 de Janeiro de 2020 11h01

Boa parte dos débitos ocorrem devido a adesão a empréstimos consignados

Twitter: @ItapebiAcontece

As facilidades para conseguir empréstimos, sobretudo os do tipo consignado, atraem milhares de aposentados e pensionistas, seja para pagar dívida ou investir em projetos. Mas o que seria um ajuda, acaba virando um transtorno. Segundo levantamento enviado à reportagem pela SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito), 1/3 da população entre 65 e 84 anos está inadimplente. Ou seja, 5,7 milhões de idosos começaram o ano de 2020 com o nome sujo.

Na comparação de todo o ano de 2019 com o ano 2018, houve aumento de 3,7% na inadimplência entre os mais velhos. E boa parte desses débitos ocorre devido a empréstimos consignados que, em muitos dos casos, o aposentado não têm conhecimento de todos os trâmites e valores que serão descontados dos seus benefícios, conforme explica a diretora de comunicação da Federação dos Associados de Aposentados, Pensionistas e Idosos do Estado da Bahia (Feasapeb), Nilzete Ramos.

“E na maioria das vezes o empréstimo é para alguém da família. É um terror, porque muitos chegam no dia de receber o dinheiro e, dos R$ 998, acaba recebendo R$ 200, R$ 100, porque o empréstimo ultrapassou o limite. E esses empréstimos acabam sendo em até 72 prestações, então os idosos passam anos pagando. Fui ao interior da Bahia, em Itamaraju, e encontramos os mesmos problemas. Testemunhei aposentados preocupados que familiares fizeram empréstimos, e muitos não sabem nem o valor”, afirma

Na análise da porta-voz da entidade, o INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) “tem tido um olhar melhor” e ampliado as ações de fiscalização junto ao banco, mas falta “sensibilidade e critério” por parte das instituições que disponibilizam os empréstimos. “A gente conhece casos de, por exemplo, um neto que pegou o cartão sem o idoso ver e fez o empréstimo. Os bancos facilitam, o que não deveria ocorrer. Quem deveria assinar, estar presente na hora do empréstimo, é o aposentado. Ele que é o dono do benefício. Essa questão precisa ser olhada com muita seriedade”, opina.

Segundo Nilzete Ramos, em uma tentativa de reduzir os problemas para esse público, a Feasapeb trabalha com medidas de prevenção, investindo em comunicação para repassar os alertas e as recomendações aos mais velhos. “A gente não toma a frente e diz que não pegue empréstimo, porque o benefício é bom se você souber se organizar. Às vezes está fazendo uma reforma, precisa comprar um remédio. Até mesmo a ajudar um parente que está no hospital. O benefício veio para ajudar, mas se não for bem trabalhado acaba virando um problema grande. Por isso a gente que se atente para esses empréstimos, que vá ao banco, converse com o gerente, que saiba aproveitar esse benefício”, detalha.

E é justamente com muita pesquisa e análise das menores taxas de juros que o aposentado Ailton Catarino, de 66 anos, foi à uma financeira na manhã dessa quarta-feira (22) a procura de um empréstimo. “Não se pode fazer besteira, temos que valorizar nosso dinheiro. Encontrei o empréstimo com juro menor e vou investir na reforma de uma casa na ilha”, aconselha o aposentado.

 

ItapebiAcontece / Bahia .Ba - Rayllanna Lima

Compartilhe por:

Envie um comentário:

*Nota: O depoimento e comentário aqui postados são de inteira responsabilidade dos emitentes. Cabendo ainda os responsáveis pelo Site Itapebiacontece moderar as postagens.*

Comentários

29 de Março de 2020 12h03

Sobe para 147 casos confirmados de coronavírus na Bahia

Estes números contabilizam todos os registros de janeiro até as 11 horas deste domingo (29).

29 de Março de 2020 11h03

Mandetta: 'Estamos preparados para ver caminhões transportando corpos?'

Segundo Mandetta, a determinação de paralisação no País tem reduzido os casos de acidentes e traumas e, por consequência, mais leitos ficam disponíveis para outras situações

29 de Março de 2020 09h03

Bahia registra primeira morte por coronavírus; vítima tinha 74 anos

O estado de saúde dele era grave desde o início da internação.