Brasil Prévia do Censo tira recursos de 863 cidades e gera batalha judicial

Brasil
24 de Janeiro de 2023 08h01

Bahia foi o estado em que mais municípios foram atingidos pelos cortes

Twitter: @arnaldofenix

Imagem: Reprodução

A revisão dos coeficientes de divisão de R$ 188 bilhões do FPM (Fundo de Participação dos Municípios) como consequência da divulgação parcial dos dados do Censo Demográfico pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) iniciou uma batalha judicial após centenas de municípios apresentarem risco de não ter dinheiro para pagar despesas já orçadas. 

Com a revisão, 863 municípios tiveram uma perda repentina de recursos após o IBGE identicar uma redução da população. Por conta disso, na segunda-feira, 23,  o ministro Ricardo Lewandowski, do STF (Supremo Tribunal Federal), concedeu uma liminar restabelecendo a divisão anterior dos recursos.

A polêmica atinge a Bahia, que é o estado com maior número de munícipios atingidos pela diminuição do repasse: 101. Por conta disso, em nome das prefeitura, a Assembleia Legislativa da Bahia (Alba) ingressou com uma ação no STF para tentar desconsiderar a nova divisão do FPM.

A reportagem do Jornal A tarde, a UPB (União dos Municípios da Bahia) estima que, ao todo, 101 prefeituras sejam afetadas. A maioria já ingressou com ações na Justiça Federal requerendo manutenção do valor do recurso do Fundo até finalização da Censo e sua revisão. Pelo menos uma cidade já obteve liminar nesta sexta-feira, 6, Brejões, a 470 quilômetros de Salvador.

O IBGE é questionado por entregar ao TCU (Tribunal de Contas da União) dados populacionais atualizados mesmo com o Censo ainda incompleto. A coleta de dados foi estimada em três meses, mas com uma série de problemas já dura o dobro do tempo. Além disso, 14,1% das localidades ainda seguem com a pesquisa em andamento, e m 0,8% nem sequer começou.

A quantidade de habitantes é critério utilizado para divisão da receita e, em dezembro, novos coeficientes foram aprovados pelo TCU. A UPB alega que 80% das cidades dependem quase exclusivamente da receita do Fundo e a perda de recursos “impacta diretamente na prestação de serviços à população e na manutenção de compromissos já assumidos com a contratação de pessoal e fornecedores”.

De acordo com a Folha, para cumprir a obrigação legal, o IBGE consolidou os dados populacionais a partir da coleta disponível, que cobria 83,9% dos setores, e estimou os 16,1% restantes. O TCU recebeu as informações e proferiu uma decisão normativa que fixou os novos coeficientes dos municípios, o que interferiu repentinamente nos repasses do FPM. 

Em todo o Brasil, os municípios criticaram a decisão do IBGE de atualizar a estatística populacional antes de obter a fotografia definitiva do Censo. Com a estimativa, chegou à conclusão de que a população brasileira é de 207,8 milhões —abaixo dos 215 milhões esperados pelo próprio órgão.

O impasse em torno do FPM está sendo acompanhado pelo Governo Lula por meio da AGU (Advocacia-Geral da União), da Casa Civil e da Secretaria de Relações Institucionais —que tem como uma de suas atribuições a articulação com estados e municípios.

ItapebiAcontece - A Tarde

Compartilhe por:

Envie um comentário:

*Nota: O depoimento e comentário aqui postados são de inteira responsabilidade dos emitentes. Cabendo ainda os responsáveis pelo Site Itapebiacontece moderar as postagens.*

Comentários

01 de Março de 2024 08h03

Campeão! Fluminense vence LDU em jogo com final dramático e conquista Recopa

Jhon Arias fez os dois gols da partida; Tricolor teve expulsão e pênalti a favor nos minutos finais do jogo

29 de Fevereiro de 2024 17h02

Câmara esconde lista de deputados que assinaram pedido de impeachment contra Lula

Esses parlamentares, apesar de integrarem legendas da base governista, já são em suas totalidades oposicionistas, a maior parte deles bolsonaristas assumidos

29 de Fevereiro de 2024 11h02

Caixa abre inscrições para concurso com 4 mil vagas para médio e superior

Salários podem chegar a mais de R$ 14 mil