Com Bolsonaro empacado, PT vai para o tudo ou nada no 1° turno

ELEIÇÕES
22 de Setembro de 2022 12h09

Lula recebeu o apoio de diversos artistas cantando um vira-voto a seu favor nas redes sociais

Twitter: @arnaldofenix

Viralizou nesta semana nas redes sociais o vídeo de artistas cantando um vira-vira-voto a favor de Lula. Mas, longe dos holofotes desse vídeo, é um jurista que chama a atenção na corrida eleitoral: Miguel Reale Júnior. 

Ex-ministro de Fernando Henrique Cardoso e tucano de raiz, Reale foi um dos artífices do processo de impeachment de Dilma Rousseff em 2016. Ele anunciou apoio a Lula no primeiro turno. “Precisamos resolver isso no primeiro turno, para tirar o Brasil de sobressaltos.”

Na outra ponta da disputa, o presidente Jair Bolsonaro está empacado. Não colheu os frutos esperados com o aumento do Auxílio Brasil e a queda no preço dos combustíveis. O brasileiro, esse pândego, ainda brinca com o “novo indexador” dos preços da gasolina e do diesel: as pesquisas de intenção de voto.

As viagens do presidente também não trouxeram o efeito esperado. Se em Nova York Bolsonaro teve de enfrentar as projeções que o ridicularizaram na fachada do Empire State Building, em Londres foram seus próprios seguidores que o envergonharam. Gritaram para a BBC que ela não era bem-vinda em seu próprio país e mandaram londrinos descontentes se mudarem para a Venezuela. A resposta de Bolsonaro foi retomar o discurso de não aceitação das eleições, ao dizer que, se não for eleito no primeiro turno, é porque há problemas no processo eleitoral.

É nesse contexto que o ex-presidente Lula endossa uma campanha pela vitória no primeiro turno. Ele nunca gostou do clima de “já ganhou” porque, se ele não vem com a vitória, traz um desânimo difícil de derrubar no segundo turno. Em 2006, quando estava prestes a vencer o pleito contra Geraldo Alckmin, seu atual vice, o clima de “já ganhou” não deu o sprint necessário para a vitória. Embora tenha entrado à frente de Alckmin no segundo turno daquela eleição, o petismo reagiu, nos primeiros momentos, como se tivesse sofrido uma derrota. E olha que, naquele tempo, era bem mais fácil vencer do que hoje: Lula tinha a máquina do governo, a economia ia bem, a aprovação ia a mil. Tanto é que ganhou.

Desta vez, Lula vai para o tudo ou nada. Até porque o nada, neste caso, é o segundo turno. A ideia é evitar que Bolsonaro venha mais forte no segundo turno. Não é só medo de golpe ou de golpes baixos, como têm apregoado os petistas. É medo também do crescimento do adversário, que tem a máquina do Estado e um saco de bondades à mão para tentar conquistar os eleitores.

Em tempo: 

Quanto mais o PT fala em voto útil -- a verdadeira intenção do vídeo do “vira-voto” -- mais estridente fica o tom de Ciro Gomes. Um coração magoado não conhece comedimento. É a lógica que orienta os que não têm nada a perder. Embora Ciro corra o risco de perder muito de seu patrimônio político saindo de uma campanha menor do que entrou.

Por: Tatiana Farah - Terra

Compartilhe por:

Envie um comentário:

*Nota: O depoimento e comentário aqui postados são de inteira responsabilidade dos emitentes. Cabendo ainda os responsáveis pelo Site Itapebiacontece moderar as postagens.*

Comentários

29 de Fevereiro de 2024 17h02

Câmara esconde lista de deputados que assinaram pedido de impeachment contra Lula

Esses parlamentares, apesar de integrarem legendas da base governista, já são em suas totalidades oposicionistas, a maior parte deles bolsonaristas assumidos

29 de Fevereiro de 2024 11h02

Caixa abre inscrições para concurso com 4 mil vagas para médio e superior

Salários podem chegar a mais de R$ 14 mil

29 de Fevereiro de 2024 10h02

Baianos serão beneficiados com novos canais de TV digital; dentre eles os eunapolitanos

Ministério das Comunicações libera a retransmissão de TV digital em quatro municípios do estado