Confederação Nacional da Polícia Civil promete paralisação nacional

Geral
07 de Fevereiro de 2012 18h02

- Vamos manter os 30% do contingente trabalhando. O resto vai parar e queremos ver como o governo vai fazer. Não tem Força Nacional de Segurança para enviar para todos os estados – diz.

 

 

SÃO PAULO - A Confederação Brasileira de Trabalhadores Policiais Civis (Cobrapol) estuda promover uma paralisação nacional da categoria contra o que chama de “descaso” da União e dos governos estaduais em relação à Segurança Pública.

O que acontece na Bahia é um reflexo desse descaso. Os policias militares têm nossa solidariedade. Poucos estados têm uma política de cargos e salários para as polícias e a União cedeu à pressão dos governadores e está segurando a PEC 300 (que cria um piso nacional para policiais) – diz o presidente da entidade, Jânio Bosco Gandra.

Segundo ele, representantes de sindicatos estaduais irão se reunir em Brasília na próxima quinta-feira. A ideia é organizar uma manifestação nacional dos policiais civis. Gandra afirma que a manifestação será pacífica, mas lembra que o objetivo é pressionar os governos.

- Vamos manter os 30% do contingente trabalhando. O resto vai parar e queremos ver como o governo vai fazer. Não tem Força Nacional de Segurança para enviar para todos os estados – diz.

Enquanto a manifestação nacional não acontece, a greve dos PMs baianos encontra eco nas polícias civis.

- Demos um voto de confiança de um ano para o governo estadual. Era o primeiro ano de gestão e esperamos. Não aconteceu nada. Faremos uma assembleia na próxima semana e a paralisação é uma possibilidade muito grande – diz Luiz Henrique Viacava, diretor do Sindicato dos Policias Civis do Rio Grande do Sul.

Em Goiás, Raniel Mascarenhas Rufo, do Sindicato dos Policiais Civis, segue a mesma lógica. Ele diz que os policiais deram um ano para que o governo eleito em 2010 colocasse 'as contas em dia'.

- Só que nada aconteceu nesse ano. Estamos há sete anos com o salário defasado. Se não houver novidades nos próximos três meses, vamos parar. E a Polícia Militar também está com o salário atrasado. E se as duas polícias param?

Em Minas Gerais, o Sindicato dos Servidores da Polícia Civil diz que há um 'favorecimento' do governo do estado para Polícia Militar.

- Exite uma supremacia de investimento e valorização na PM. A Polícia Civil pede socorro – afirma Antônio Marcos Pereira, vice-presidente do Sindicato.

O governo estadual enviou um projeto que tramita na Assembleia Legislativa para reformular o Estatuto da Polícia Civil. Segundo Pereira, o texto prejudica a categoria.

- Se ele (o projeto) avançar nas comissões da Assembleia, nós vamos parar. Vamos colocar três mil, quatro mil policiais nas ruas. O governador vai colocar a PM como contraponto. Peço a Deus que nada de ruim aconteça porque o estado vai perder o controle. 

 

Redação Itapebiacontece informações  O Globo

Compartilhe por:

Envie um comentário:

*Nota: O depoimento e comentário aqui postados são de inteira responsabilidade dos emitentes. Cabendo ainda os responsáveis pelo Site Itapebiacontece moderar as postagens.*

Comentários

13 de Julho de 2020 17h07

Brasil regista total de 72.234 mortes por covid-19

O levantamento foi realizado pelo consórcio formado pelo jornal O Estado de S. Paulo, G1, O Globo, Extra, Folha de S.Paulo e UOL

13 de Julho de 2020 16h07

Defesa e Forças Armadas vão à PGR contra declaração de Gilmar

Gilmar afirmou que o Exército se associou a um "genocídio"

13 de Julho de 2020 11h07

Prisão domiciliar: Queiroz é fotografado na janela de seu apartamento no Rio de Janeiro

Queiroz, que estava sem camisa, apareceu após ouvir o som de um helicóptero que passava pelo local.